quarta-feira, 16 de abril de 2008

O HIV NÃO É O FIM

Caiu-me o mundo em cima quando o médico me leu o veredicto. Achei que aquilo não podia estar a acontecer-me embora, depois de reflectir, pense que fui muito ingénuo e desprevenido.

A aventura fácil e o prazer do momento podem pagar-se bem caro. Tão caro que quase dariamos a vida para não o termos feito. As relações desprotegidas são fruto da ideia de que um infectado pelo HIV deve ter no rosto uma qualquer característica que o identifique. Pura ilusão. O infectado pode ser a pessoa que partilha a nossa vida diária e que nós, pensado conhecer, desconhecemos.

Agora tenho medo. Confesso que estou completamente aterrorizado.Não consigo conviver com a ideia que apressei o meu fim e que esse fim pode trazer sofrimento.

Paro e penso. Alguém me estende a mão e a aperta. Está um dia de sol e afinal não morri. Afinal até posso viver e até me posso curar, quem sabe. Acredito que a ciência evolua. Na era dos transplantes um amigo meu, que se achava condenado, fez uma cirurgia que lhe restituiu a vida com qualidade.

O que preciso mesmo é acreditar que tenho vida e que o meu problema não é pior que muitos outros só porque é meu. Ainda tenho mãos para construir e um coração que bate e ama. E ainda posso ser amado.
PARTICIPE NO DEBATE DO SIDADANIA

9 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Robin
Ah, afinal conseguiste e até te saiste muito bem.
Abraço

Paulo disse...

Parabéns Robin. O post está excelente e oferece-me uma força interior, a que chamo esperança. Obrigado.

São disse...

Gostei do texto!
É bom ter mais uma pessoa nesta luta!
Bem haja!

tagarelas-miamendes disse...

" A aventura facil e o prazer do momento podem pagar-se bem caro.."
E' uma pura verdade, mas nao e' assim com todas as doencas graves?? O cigarro e o cancro?? A obesidade e o prazer de comer e a a diabestes?? A hiper-tensao?
Claro que o melhor e' prevenir! Mas se acontecer porque se da mais enfase a esta doenca do que a qualquer outra???
Quantos de nos nao dizemos, se eu nao fumasse....se eu nao gostasse tanto de fast food....
O importante nesta ou noutra doenca com a mesma gravidade e' a forma como lidamos com ela.

São disse...

Que se passa?
Não desapareceu sem aviso prévio, não?
Semana boa.

São disse...

Bom feriado.

Odele Souza disse...

Robin,
Obrigada por sua visita de hoje ao blog de Flavia. Obrigada por manter aqui em seu blog, o selo-link para o blog dela.

Um abraço carinhoso pra você.

Raquel disse...

Boa tarde a todos

Vamos todos acreditar e ter fé que a cura do hiv está muito próxima, vamos pressionar os governos para que invistam mais para a descoberta da cura do hiv, tenho fé e acredito que estamos muito próximos da cura do Hiv, o meu bem haja a todos aqueles cientistas que diariamente lutam contra o drama do hiv no sentido de descobrirem a Cura do Hiv

Anónimo disse...

Boa noite a todos.......
Sempre me perguntei sobre o porque da existência desse ser o vírus hiv, ela infecta o seu hospedeiro, o leva a morte e depois ele mesmo morre. Filisoficamente falando não faz sentido algum seres tão complexos quantos nós seres humanos sermos vencidos por um ser de dimensão microscópica, creio que se a cura não for encontrada a própria evolução humana nos fará imunes a esse ser. Somos seres superiores e venceremos essa guerra. Não é fácil sermos conscientes de nossa finitude, consciente de nossa dor, e sermos vencidos por seres que parecem que só querem matar e depois morrer. Fé em Deus, no homem, na humanidade. A vida é mais forte do que um vírus